FIM DO MUNDO? NÃO, 2013

O mundo, afinal, não acabou e nós chegamos a 2013. 2012 foi um ano marcante na minha vida, pois minha rotina foi quebrada várias vezes, o que me obrigou a reorganizar minha vida todas as vezes. Se formos pensar em “fim” como uma mudança ou transição, então enfrentei alguns “fins de mundo” durante o ano: mudanças no local de trabalho; mudanças no horário escolar da minha filha (o que virou minha rotina simplesmente de cabeça pra baixo); mudanças de atividades pessoais diárias. E não foi tudo de uma vez. Quando eu estava me adaptando a uma mudança, acontecia outra, de forma que eu só consegui me adaptar a todas as novidades da nova rotina em novembro – aí minha filha logo entrou de férias e mudou tudo de novo: mais um “fim de mundo” ao qual me adaptar. Por causa dessa confusão toda, acabei não conseguindo levar adiante alguns projetos literários previstos para 2012, como a ideia de fazer leitura crítica ou coaching literário.
Por outro lado, meu romance caminhou bem. Não sei exatamente onde eu estava em 1/1/2012 (por volta da página 80, como citei neste texto aqui?) mas a página 100 foi escrita em 18 e 19/3/2012 e, em 1/1/2013, acabarei de escrever a página 294, o que significa que, em 2012, eu escrevi mais de 194 páginas. Também consegui publicar A noiva trocada, embora sem um lançamento real. Talvez eu faça alguma coisa logo depois do Carnaval; vamos ver.
Encerrei minha participação em algumas comunidades e grupos, para focar nos que eu considero mais interessantes e produtivos, onde é realmente possível trocar idéias e aprender, além de conversar e fazer amigos.


Meus projetos para 2013 são ambiciosos:
1)     Publicar e lançar Construir a terra, conquistar a vidaem três ou quatro tomos, conforme o orçamento que a gráfica me passar;
2)     Talvez acabar de escrever meu livro (que, afinal, não terá muito mais do que 500 páginas);
3)     Prosseguir na ideia da leitura crítica, que nem é nova;
4)     Participar das discussões nos grupos virtuais;
5)     Visitar os blogs dos amigos.

Considerando que o ano tem só 365 dias, acho que basta, né?

Então, Feliz 2013 pra todos nós!
Posted on: 1 de janeiro de 2013Mônica Cadorin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *